terça-feira, 9 de julho de 2019

Voa borboleta, voa!


A turma de 1º período, da professora Maria Aparecida e da auxiliar Marta, trabalharam a atividade “Construção de um borboletário”
Na escola tem uma árvore que foi infestada por lagartas que caíram pelo pátio em grande quantidade. As crianças e a professora envolvidas com tantas lagartas conversaram sobre as mesmas e que elas se transformariam em borboletas. Resolveram assim trazer algumas para a sala e colocar em um pote. Para que não morressem de fome colocaram folhas de couve para se alimentarem, pois a árvore de onde caíram é muito alta e não tem como pegar folhas.
Passaram os dias observando as lagartas e perceberam que elas estavam emagrecendo. Em uma segunda-feira, perceberam que haviam morrido. Aí foram feitas indagações a respeito do porquê, uma vez que estavam com folhas para se alimentar.
Uma professora da escola foi até a horta, pegou lagartas que estavam nas folhas da couve e trouxe para eles com a folha da couve. Assim recomeçaram as observações. Viram que devoravam as folhas de couve e que cresciam a cada dia. Certo dia, qual não foi a surpresa! Elas estavam quietinhas em um canto do pote, haviam construído casulos. Todos os dias observavam os casulos no pote, o que demorou mais ou menos uns 15 dias.






O dia que chegaram na sala e descobriram que dos casulos haviam saído borboletas foi uma grande alegria.
A professora passou o vidro de mão em mão na roda e ofereceu uma lupa para que pudessem observar mais detalhes.
Aprenderam além de várias coisas que as borboletas são de espécies diferentes que cada espécie prefere um tipo de planta






Combinaram soltá-las no pátio da escola e se organizaram com instrumentos da bandinha para o evento e assim foi feito como demonstrado nas imagens abaixo.



sexta-feira, 7 de junho de 2019

O tesouro e os blocos lógicos


A professora Vanessa do 1º período fez uma atividade adaptada do jogo “Caça aoTesouro do Pirata” utilizando peças dos blocos lógicos com o objetivo de caracterizar as formas geométricas de acordo com seus atributos: cor, forma, tamanho, espessura e ainda observar semelhanças e diferenças entre as peças.
No jogo trabalhado as crianças precisaram seguir pistas para decifrar o segredo do tesouro.
A atividade foi desenvolvida de duas formas:
Primeiramente organizou os blocos lógicos no chão. Em seguida convidou uma criança de cada vez, citou as características das peças. As crianças convidadas precisavam associar as pistas à peça descrita e assim descobrir sobre qual a professora estava falando.
Ex: 1-A peça é um círculo, é grande, amarelo e grosso.
      2-É uma peça vermelha, é pequena, grossa e triângulo.

 
Na outra forma de jogar cada criança na roda pegou uma peça dos blocos lógicos. A professora falou uma das características da peça que seria o tesouro e a criança precisava levantar e mostrar a sua. Em seguida a professora dizia mais critérios até chegar na peça na qual havia pensado. Ex: A peça do tesouro é um círculo. Várias crianças levantaram. Ela continuou: É um círculo grande e grosso. Só sobraram duas. Continuando: É um círculo, grande, grosso e azul. Assim foi feito com outras peças dos blocos lógicos.
 
 
 
 

 



sexta-feira, 31 de maio de 2019

Gostosura e Aprendizado


A professora Priscila Amorim, do 2º período apresentou o sólido geométrico cubo passando de mão em mão na roda de conversa. Ao manipularem descobriram que ele é formado de 6 quadrados.
No dia seguinte a professora levou para a sala balas e palitos de dentes e os desafiou a utilizar o material oferecido para cada um formar o seu cubo. Durante a atividade descobriram que cada um precisaria de 12 palitinhos e 8 balas.
A professora e a auxiliar de educação Camila Silva perceberam que as crianças criaram várias formas de se chegar ao final da produção.
Ao terminarem e fotografarem foi o momento de saborear as balas.








sexta-feira, 24 de maio de 2019

Cirandinha no Diário do Vale


Dando continuidade ao projeto "De onde vêm as notícias?" a turma de 2º período da professora Raquel e da Auxiliar de Educação Cristina planejaram uma visita á sede do jornal da cidade de Volta Redonda, o Diário do Vale.
A recepção foi muito calorosa e as crianças puderam ter a incrível experiência de conhecer a redação de um jornal que está diariamente nas bancas da cidade e sua gráfica.
Ao voltarem comentaram ter visto várias máquinas, máquinas muito grandes e uma que parece de RX, que as pessoas não podem ter contato direto. Que ao serem impressos ocorre uma cor de cada vez. O papel vai passando por rolos diferentes, cada um com uma cor que vai sendo impressa até que chega no último que é a cor preta e em seguida o jornal sai cortado e dobrado. Que viram no computador de lá como é o jornal, que ele tem página da educação, policial...como é o funcionamento da impressão. Comentaram que trabalham com rolos muito grandes de papel. Aprenderam também que algumas notícias chegam por telefone e os repórteres vão aos locais verificar para depois colocar na edição.Viram também que fazem um livro com os jornais publicados e na parede tem o primeiro e o milésimo jornais publicados por eles.
No dia seguinte apareceram na edição do jornal e adoraram a experiência. A edição esgotou nas bancas das proximidades da escola.









quarta-feira, 8 de maio de 2019

Pátio Legal!


Conscientes de que o trabalho educativo não se limita à sala de aula, que todo o espaço escolar deve ser acolhedor, atrativo e proporcionar o desenvolvimento de atividades cognitivas e motoras, a comunidade escolar montou o projeto Pátio Legal visando a revitalização da área externa, que se encontrava desgastada.
As primeiras atitudes foi recapear o piso que se encontrava esburacado, pintar o chão do pátio; reinaugurar a casinha da boneca que passou por uma revitalização com pintura, nova decoração através de colocação de novos brinquedos, toalhas e cortinas.
Para a sua reinauguração a diretora adjunta, as professoras e auxiliares de educação apresentaram para os pais e crianças um teatro com a história “A dona Baratinha” adaptada para a ocasião. Alguns pais ajudaram na dramatização.
A reinauguração e a apresentação da história se deu nos dois turnos.




 














DONA BARATINHA (adaptada pela diretora adjunta Camila)

Era uma vez, no tempo em que os bichos falavam, uma baratinha muito trabalhadora. 
Ela gostava de manter sua casinha sempre limpa e em ordem. Um dia, ela estava varrendo a casa, quando encontrou, atrás da porta, três moedas de ouro.
- Nossa quanto dinheiro!! Vou arrumar minha casa todinha. ( os pais ajudam a guardar as coisas dentro da casa.)
Mobiliou de novo a casa inteira e ainda sobrou dinheiro. Quando já não sabia mais o que comprar, Dona Baratinha guardou o resto do dinheiro dentro de uma caixinha. Agora que estava rica e elegante, que tinha uma casa com mobília novinha e um lindo enxoval guardado no baú, Dona Baratinha achou que estava na hora de se casar.
- Preciso me casar, vou procurar o melhor pretendente.
À tardezinha, vestiu as roupas mais bonitas, fez um belo penteado com um lindo laço de fita e, toda perfumada, foi para a janela esperar os pretendentes.
Ela cantava: - Quem quer casar com a Dona Baratinha, que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha?
O primeiro a aparecer foi o gato, o animal mais elegante da cidade. Ao ver Dona Baratinha na janela, toda bonita e perfumada a cumprimentou com educação, e ela aproveitou para cantar:
- Quem quer casar com a Dona Baratinha, que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha?
- Oh! Tão linda senhorita, claro que quero!
- Diga primeiro, gato, como é que você faz quando dorme?
O gato se preparou, estufou o peito e deu um miado tão forte que Dona Baratinha, assustada, respondeu:
- Deus me livre de tal noivo, miando dessa maneira, terei sustos o dia todo e medo a noite inteira!
Triste, de orelhas caídas, lá se foi o gatinho, afastando-se pela estrada.
Dali a pouco, Dona Baratinha viu aproximar-se, com passos lentos, um boi. Ela cantou sua música... e repetiu a pergunta feita ao gato. A resposta foi:
- Muuuuuu!
- Deus me livre de tal noivo! Que barulho assustador!
E lá se foi, desiludido, o pobre boi.
Depois do boi, apareceu o cachorro.
O candidato era valente, esperto, alegre, mas ela não deixou de lhe fazer a mesma pergunta, que também foi respondida com o seu som.
- Não, não e não! Desse jeito não conseguirei dormir.
E ali ficou ela mais um tempão, debruçada na janela, cantando sua canção.
-Será que nunca vou me casar?? (cara de tristeza)
De repente, viu desfilar à sua frente um baratão bem bonito.
- Que belo baratão ! – disse ela.
E cantou para ele: “Quem quer casar com a Dona Baratinha, que tem fita no cabelo e dinheiro na caixinha?”
E o Baratão disse: - Que maravilha de senhora, claro que aceito.
- Diga primeiro, baratão, como é que você faz à noite ao dormir?
O baratão soltou o seu: “Qui... qui... qui...” suave, tão fino e ela apreciou a voz do baratão.
Foram, então, combinar a data do casamento. Providenciaram tudo – convites, enfeites, trajes – e marcaram o casamento para dali a dois dias. 
Dona Baratinha e Dom baratão contaram com a ajuda de vários parentes e amigos.  SELECIONARAM ALGUNS PAIS PARA AJUDAREM A PREPARAR A CERIMONIA, COLOCANDO UMA MESA, ARRUMANDO A BIBLIA, ARRUMANDO A NOIVA E REALIZANDO A CERIMONIA DE CASAMENTO.
Após a cerimônia a Dona Baratinha o Dom Baratão foram para sua lua de mel. Mas lembraram de algo.
- Nós iremos viajar e com quem vamos deixar a nossa casinha?
- Já sei vamos deixar com as crianças, disse o baratão. Você querem cuidar da nossa casinha?
- Então a baratinha disse:  -Vamos deixar a chave na secretaria, sempre que vocês precisarem podem pegar la. Mas eu gosto da minha casa sempre arrumadinha. Porque eu gastei muito dinheiro para montá-la. A partir de amanhã vocês podem visitá-la, mas antes vamos fazer os combinados para usar nossa casinha?
( Ler os combinados )
- Muito bem, cuidem bem dela pois agora eu o sr baratão estamos de saida. Nosso ônibus esta partindo.Tchauuu!!